Dicas para fotografar Aniversários Infantis. Parte 01.

Olá pessoal, chegamos ao fim da nossa Maratona de Aniversários Infantis aqui no blog, rsrs. Foram 4 lindos aniversários postados: Da Nanda, do Nicollas, da Maria Clara e do Miguel.

Quem quiser ver mais aniversários aqui no blog, é só entrar na Categoria Aniversários. E não se esqueçam também que o Workshop em Goiânia está chegando. Será no dia 10 de maio. Não fiquem de fora!

E agora, conforme prometido, um pequeno post com dicas para fotografar aniversários infantis. Ebaa!

Eu adoro fotografar aniversários infantis. Diferente de qualquer outro tipo de evento, neste eu realmente me divirto. Me sinto como uma caçadora em busca de registros espontâneos e sorrisinhos escondidos. Cada clique bacana é uma vitória! Isso porque numa festa infantil, você não tem tanto controle quanto em um ensaio, por exemplo. Não é você que vai ficar dirigindo a cena (não deveria, pelo menos), então é um trabalho quase jornalístico. Um jogo de gato e rato que eu adoro jogar.

Vamos dividir esse post em duas etapas:

1 – Logística (voltado para a organização do fotógrafo no dia da festa e em como lidar com o cliente).
2 – Técnica. (voltado para como fotografar a festinha em si).

Vamos lá:

1.1 Trace um roteirinho mental. Gosto de me programar com antecedência para os eventos e traçar uma listinha do que pretendo fazer, em que ordem, dentro da medida do possível. Geralmente, informo ao meu cliente que vou chegar com 10 ou 20 minutos de antecedência, dependendo do tamanho da festa, para começar fotografando a decoração.

Assim, eles já ficam tranquilos, pois quando chegam, você já fez essa parte minuciosamente, de modo que nenhum detalhe ficou de fora. Fotografe a mesa inteira, num ângulo aberto. O salão inteirinho, ainda vazio. Depois vá fechando nos detalhes. Não esqueça os arranjos de mesa e as lembrancinhas. Quando os pais chegam, começo fotografando a família, antes que os demais convidados cheguem. Mais tarde, será cada vez mais difícil, pois os pais estarão preocupados em recepcionar os convidados. Não vou com antecedência demais, pois pode ser em vão. Os convidados nunca chegam no horário marcado no convite, o que te dá minutos a mais. Da mesma forma que há decoradoras que terminam tudo muito perto do horário da festa. Chegar com 20 minutos é suficiente, pois mais do que isso, você pode ter que ficar esperando.

1.2 Informe aos pais sobre o que você pretende fazer. Eles ficam mais seguros se você diz, com tranquilidade, que vai fotografar o salão antes da chegada deles, que depois vai fotografar a criança sozinha um pouco, junto da decoração, depois com os pais, avós, padrinhos e quem mais for imprescindível. Eles não precisam ficar pensando se algo já foi clicado ou não, pois o responsável por isso é você. “Tá dominado!” é o que eu digo pra eles. Sinal de que cobri tudo o que era importante pra eles.

E mais importante ainda: PERGUNTE sobre quais as expectativas deles com relação ao evento. Tudo isso você pode fazer em uma reunião prévia, quando forem assinar o contrato, para não incomodá-los no grande dia. Note que para cada família, a expectiva é diferente. Há famílias que me pedem para focar quase que exclusivamente no aniversariante, pois para eles não é relevante ter fotos dos coleguinhas no álbum. E há famílias que querem um registro completo, com todos os convidados, para que no futuro, possam se lembrar de quem estava nesse dia, comemorando com eles. Ambos eu acho bastante válido e sempre me coloco na posição da mãe, imaginando como eu gostaria de ser atendida por um fotógrafo.

Se você quiser, pode entregar para os pais (ou enviar por email) um formulário ou check-list, com essas perguntas. Dessa forma você terá tudo escrito, para se lembrar no dia, antes de sair de casa. E fazer bonito!

Marco Antônio com seus pais, em sua festinha de 4 anos.

1.3 Respeite quem mais estiver trabalhando. É quase um absurdo que eu tenha que escrever essa dica. Mas já tive tantas experiências diferentes, que acho que algumas pessoas precisam ler.  Garçons, decoradores, cinegrafistas, todos eles estão trabalhando no evento, tanto quanto você. Procure se apresentar e conhecer seus colegas de trabalho, assim a coisa flui com mais naturalidade e bem menos stress. Cuide para não passar na frente do cinegrafista, ou fotografar no lado oposto, de modo que você apareça o tempo inteiro na filmagem. Peça para que façam o mesmo. Se ajudem!

Não é fácil, mas se ao invés de reclamar, você procurar ajudá-lo, a pessoa vai se ligar de te ajudar também e não ficar atrapalhando.

1.4 Política da boa vizinhança gera bons frutos. Complementando a dica acima. Não me importo de enviar fotos para a decoradora depois, desde que em baixa resolução e com minha marca d’água. Ela vai adorar ter fotos para divulgar e você acaba tendo mais uma pessoa compartilhando seu trabalho. O mesmo se aplica caso a empresa de vídeo queira uma foto para a capa do blu-ray. Ser simpático com quem trabalha na casa de festas também.  Tudo isso é só mais um “outdoor” pra você. Não seja mesquinho!
Você pode até pegar alguns cartões da decoradora de sua preferência (não pegue de várias) e indicar para seus clientes. Deixe seus cartões com a decoradora ou a casa de festas e – se você tiver feito tudo certinho – te indicarão também.

Outra forma de divulgar, é deixar seus cartõezinhos em cima das mesas do salão, para os convidados pegarem, se tiverem vontade.

1.5 Você é seu cartão de visitas. Fazer novos clientes em uma festinha infantil é a soma de todos os fatores. Você precisa ser simpático e educado com TODOS os convidados, não só com seu cliente. Seja atencioso com as crianças, mas somente se for genuíno. Ou seja, seja brincalhão, mas não falso. Penso que você está conquistando os pais, quando observam a sua interação com as crianças. No fundo, é assim que você vai conseguir boas fotos. Mas só vale se for verdadeiro.

A sua “venda”, é a soma de toda a sua apresentação pessoal e profissional. Se vista adequadamente. Não haja como se fosse convidado. Só coma quando houver intervalos e somente na cozinha do local. Tenha um bom cartão de visitas, bonito, apresentável (não pode estar amassado. Acredite, já vi isso). Uma boa apresentação pessoal/profissional é a alma do negócio e fala muito sobre você. Nada disso passará despercebido.
Para mulheres, cuidem também com a maquiagem. Você precisa estar apresentável, mas não pode chamar atenção negativamente. Evite ser muito chamativa, pois algumas mamães ciumentas podem não gostar. Jamais: decotes, calças coladas demais, batom vermelho.

1.6 Seu site é a complementação da sua venda. Se seu cliente “to be” se deu ao trabalho de pegar seu cartão numa festinha, gostou do que viu enquanto você trabalhava, agora quer espiar um pouquinho do seu trabalho na internet, é OBRIGATÓRIO que seu site complemente a sua venda. Isto é, além de conter boas fotos de festinhas – que foi o que ele viu “em ação” – em um portfólio consistente, precisa ser um site bonito, intuitivo, fácil de navegar.
Por consistente, entenda: não é absolutamente tudo o que você já clicou na sua vida. E sim, uma seleção bem feita dos seus trabalhos, que demonstrem o seu estilo, sua visão e sua técnica, pois é isso que você quer vender.

1.7 Respeite a privacidade dos convidados, ao postar fotos em seu site ou página do facebook.

Lembre-se: Quem autorizou (ou não) a publicação das imagens, foi o seu cliente. Porém, você não tem a assinatura, ou a autorização de uso da imagem dos demais convidados da festa, para sair publicando fotografias dos filhos deles. Na dúvida, não publique!
Se coloque na posição deles: Imagina se você nunca mais pudesse sair com seu filho, para lugar algum, sem correr o risco de ter imagens dele compartilhadas na internet? É mais ou menos isso que seu cliente passa. E não deveria. Vamos respeitar! Não são todas as pessoas que gostam de ter fotos do filho na web.

Geralmente, quando publico foto de alguma outra criança além do aniversariante, ou é o irmão, ou é outro cliente meu e eu já tenho a autorização dos pais dessa outra criança.

1.8 Nunca, nunca, nunca, trabalhe em um evento sem contrato.

NUNCA! Espero que isso tenha ficado claro, rsrs. O contrato serve para proteger ambas as partes. Nele você deve colocar muito detalhadamente, o que você combinou com o cliente. A data da festa, o horário (isso te protege, caso o horário mude, ela esqueça de te avisar e depois diga que foi você que esqueceu), o local, etc.
É importante ter uma cláusula com o pacote que foi escolhido, qual o valor total, qual a forma de pagamento, se foi parcelado, enfim. Não deixe de constar tudo o que ficou previsto ser entregue, bem como os prazos para a entrega. Se o pacote continha arquivos digitais, coloque quantos são e em que resolução. Em caso de álbum, qual o tamanho, quantas páginas, quantas fotos (aproximadamente) e qual o acabamento, se tem estojo, entre outros detalhes da sua proposta.
Eu também coloco em contrato, a autorização do uso das imagens. Isso serve não só para proteger o seu cliente (caso ele não autorize), como também serve para me lembrar de quais clientes eu posso, quais não. Com tantos clientes, é comum que eu esqueça e precise retornar ao contrato para saber o que estava combinado.
Siga a risca, caso o cliente não deixe publicar.

Outro aspecto importante do contrato, são cláusulas que protegem você e seu trabalho. Por exemplo, de que é responsabilidade do cliente/contratante, caso algo ocorra com o seu equipamento. Se algum convidado derrubar refrigerante na sua lente, se um garçom te derrubar e você se machucar, isso é responsabilidade do contratante. É claro que trabalho sempre com seguro de equipamento, mas independente disso, essa é uma cláusula importante.

EDIT: Assistindo uma palestra sobre direito na fotografia, meses depois de ter escrito esta matéria, descobri que devemos retirar essa cláusula que responsabiliza o cliente, pois esse é um risco que faz parte do trabalho. Ou seja: façam seguro dos equipamentos SEMPRE!
EDIT 2: Para quem costuma pedir o meu modelo de contrato. Eu encorajo todo mundo a contratar um advogado para fazer o próprio contrato. Enquanto eu ficava usando modelos prontos da internet, misturando um modelo com o outro, pegando cláusula dos contratos dos amigos, sem qualquer acompanhamento jurídico, só tive problemas. Até que criei vergonha na cara e fui fazer do jeito certo. Quem fez o meu foi a Dra. Lilian Novakoski e o contrato ficou muuuito melhor depois que eu pude sentar com ela e expor as reais necessidades do meu trabalho. Não custa tão caro, pelo benefício que isso pode trazer para o seu negócio.

Bom, estas foram 8 dicas com relação à logística de se fotografar um aniversário infantil. No próximo post falaremos sobre técnica, sobre o que fotografar, sobre equipamentos e sobre o evento em si.

Aguardem! =]

CLIQUE AQUI PARA LER A PARTE 02.

25 thoughts on “Dicas para fotografar Aniversários Infantis. Parte 01.

  1. Bárbara Roberta says:

    Excelentes dicas, Huaíne! Você tocou em pontos importantíssimos, detalhes que nos passam despercebidos como fotógrafos. Adorei! Aguardando ansiosamente o próximo post. Bjs

  2. Walquiria Alves says:

    Estou começando nessa área e já havia vasculhado a internet atrás dessas dicas e nada…
    Graças a Deus vc apareceu para iluminar meu caminho. Obrigada!
    Já fiz seu WS em Brasília ano passado e AMEI!
    Sugiro fazer um WS agora sobre festas infantis, tem tantos de outras áreas mas nessa de festas infantis não há nada,
    pense nisso. Eu estou dentro!!!! Rsss.

  3. Carol Borba says:

    Adorei esse post. Em junho farei minha primeira festinha infantil, profissionalmente, hehehe… Confesso que estou meio apreensiva. Esperando ansiosamente pela segunda parte do post!!!

    Acompanho seu trabalho a tempo. Amooo….És uma referência pra mim!!!

    Obrigada pelas tuas dicas. São maravilhosas!!!

    Bjão ;)

  4. Lourenço Filho says:

    Vejo que você tem amor pelo que faz, isso é ótimo.
    percebe se um grande prazer da sua parte em compartilhar seu conhecimento, obrigado viu que Deus te abençoe mais e mais

  5. Pingback: Dicas para fotografar Aniversários Infantis. Parte 02. | Huaíne Nunes Fotografia Infantil

  6. Carla says:

    Olá Huaíne, tudo bem?

    Adorei o post. Muito bom. Tenho uma pergunta: Você falou da autorização para o uso da imagem da criança convidada, mas e dos adultos? Eles também precisam autorizar para que você possa publicar em seu site?

    Obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *