Arquivos da categoria: Técnica

Pessoal, tenho uma super novidade que finalmente posso contar pra vocês!! \o/
Meu curso online de Fotografia Lifestyle – Gestante e Família, feito em parceria com o Canal da Foto está prontinho e está incrível!
Estou super feliz!
São quase 5 horas de muito conteúdo pra você entrar no mercado da fotografia de família e gestantes mais rápido do que imagina!
E os alunos ainda terão:
1) Minha tabela de preços
2) Modelo de Contrato
3) Preset para Lightroom
4) Guia para gestantes.
[+] informações clica AQUI!
Confiram o teaser:

Olá pessoal, como estão nesta segundona? Prontos para mais um post com dicas para fotografar aniversários?
Para quem perdeu, não deixe de ler a PARTE 01 desse artigo.

Bom, conforme havíamos combinado, a parte 01 do artigo tratava de Logística, voltado para a organização do fotógrafo no dia da festa e em como lidar com o cliente. Agora, a parte 02 do artigo será voltada para técnica, ou seja, sobre como e o que fotografar na festinha em si.

Vamos lá!

2.1 Equipamentos.

Muita gente me pergunta quais os equipamentos que eu uso quando fotografo uma festinha infantil. Bom, com o tempo, encontrei a formulazinha que funciona para mim, em termos de equipamentos. Ou seja, não considero que quanto mais diversidades de lente você tiver, melhor. Penso que o importante é encontrar o que funciona para você, para que você tenha conforto em trabalhar.

Meus equipamentos são o seguinte: Nikon D7000, que fica de backup, mas nunca precisei acioná-la (felizmente); Nikon D600, que é a minha câmera principal, sobretudo por ser full frame. E objetivas, também possuo apenas duas, a 50mm 1.4 e a 24-70mm 2.8, ambas da Nikon. Também possuo um flash SB700 que conhece mais o interior da minha mochila, do que o mundo lá fora, rsrs.

O motivo de eu ter escolhido este equipamento para me acompanhar  durante os eventos, é que com uma câmera full frame, eu tenho bastante flexibilidade no ISO elevado, podendo “esticar” até ISO3200 sem maiores preocupações. Dessa forma, aliado à lentes claras, eu consigo evitar o uso do flash, por isso ele fica tanto na mochila.

Quanto às lentes, penso que o mais importante seria uma lente clara, que também seja bem versátil. É por isso que optei pela 24-70mm 2.8, que me permite aproximar um pouco da criança, sem precisar entrar tanto em cena, mas também consigo abrir o ângulo, para fotografar o parabéns, tudo com a mesma lente.
Não sou o tipo “fotógrafo tele-objetiva”, que fica de longe, com sua bazuca, só analisando e fazendo cliques mais jornalísticos. Cada um tem um estilo, por isso acho importante encontrar o seu, antes de investir em equipamentos caros. Meu perfil é mais da fotógrafa brincalhona, que faz palhaçada com as crianças durante a festinha e assim, consigo meus cliques.

Já a 50mm 1.4, é uma excelente lente para retratos e também para fotografar os detalhes da decoração, com um desfoque  maravilhoso. Portanto, é sempre bom tê-la por perto, embora eu a use consideravelmente menos.

EDIT: Pouco mais de um ano depois de ter escrito o artigo, meus equipamentos foram atualizados. Até o momento (Junho de 2015), trabalho com: D600 (backup), D610, 24-70 2.8 (que agora tem seu uso quase que exclusivamente no parabéns), 35mm 1.4 (que uso 90% do tempo) e uma 105mm 2.8, que é macro e não usei em festinhas ainda.

2.2 Configurando seu equipamento.

Novamente aqui, esta é uma questão pessoal, mas vou lhes contar como gosto de trabalhar.
Crianças não páram. Isso é um fato. Fotometrar em modo manual, muitas vezes pode fazer com que percamos alguns cliques importantes, deixando passar o momento.
Portanto, para ser ágil, costumo sempre trabalhar em prioridade de abertura (A ou Av – dependendo do seu equipamento). Gosto de me manter em aberturas intermediárias, como 2.8 ou 3.2, onde consigo uma boa profundidade de campo, sem abrir mão de um foco preciso. Com isso, quem define a velocidade para mim, é o meu lindo amigo, o fotômetro. Estou sempre monitorando e aumentando o ISO, se necessário. Fotos borradas nem pensar! Tente manter-se sempre em velocidades, no mínimo, acima de 1/100s. É claro que podemos usar do bom senso. Bebês de 1 ano, não devem sair correndo e devem ser mais fáceis de clicar (exigindo menos da velocidade do obturador) do que crianças de 4 anos, que correm pra lá e pra cá, pulando na cama elástica e trocando de brinquedos em frações de segundos, rsrs.

Outro ponto importante: RAW Sempre!! Para quem não trabalha com raw ainda, a dica é: comece imediatamente! Com esse recurso, me permito usar o White Balance (balanço de branco) em modo automático e ajustar tudo isso no Lightroom depois. Algumas casas de festa tem [infelizmente] uma variedade chatinha de luz. O salão tem luz branca, enquanto nos brinquedos a luz é amarela. Pra evitar essa bagunça e conseguir um tratamento uniforme depois, o RAW me salva.

Há casos e casos. No parabéns, por exemplo, é quando não abro mão de trabalhar em modo Manual. Isso porque ficaremos num só lugar, sem grandes variações. Dessa forma, consigo cliques com exatamente a mesma quantidade de luz, o que facilita a minha vida e ganho alguns minutos, na pós produção. O importante é manter sempre um tratamento uniforme e consistente, sem variações de luz, nem de cor.

2.3 O que clicar.

Lembra que falamos na parte 01 sobre traçar um roteirinho? Agora é hora de colocá-lo em prática.

Começo sempre com a decoração, antes mesmo da família do aniversariante chegar. Assim, consigo pegar com calma cada um dos detalhes, assim como a mesa inteira do bolo e o salão inteiro vazio. Depois, quando chegam, tento garantir as fotos da família e do aniversariante sozinho, junto à decoração. O objetivo dessas fotos, é conseguir garantir uma foto legal para a capa do álbum, caso ela não surja depois (não dá pra saber de antemão, rs). O fato de estar junto à decoração, faz com que eu consiga uma capa nos padrões de cores da festa, mantendo meu álbum muito mais hamonioso.
Toda criança tem “prazo de validade”, variando conforme a idade. Quanto mais se sabe sobre comportamento infantil, mais fácil é trabalhar essas questões. Uma coisa é certa: há uma quantidade de tempo limitada em que ela ficará interessada em fazer essas fotos posadas. Quando os amiguinhos chegarem, mais difícil ficará. Eles se cansam com facilidade e você não quer uma foto com uma criança de cara emburrada.
Quem for imprescindível para o álbum (isso a sua cliente te explicará, naquela entrevista prévia que comentamos na parte 01 do artigo), você já pode ir clicando com a criança conforme eles forem chegando. Esses são os tios, avós, padrinhos… Todo mundo que não puder ficar de fora do álbum. Confirme isso com sua cliente.
Após esse momento, ficamos livres para clicar. Isto é, ficar atento ao que for acontecendo com o aniversariante durante a festa. Acho legal pegar abraços entre os coleguinhas, quando cumprimentam na chegada, alguns sorrisos quando vêem alguém que estavam esperando, essas coisas. Também aproveito para fotografá-lo explorando a festa, os brinquedos e o que mais tiver. Cama-elástica, piscina de bolinha, escorregadores infláveis. Tudo o que houver na festa, eu procuro registrar, dentro da medida do possível e com naturalidade.

Informe-se se haverá algo diferente, como palhaços, ou alguém vestido como algum personagem. Antecipe-se, assim você consegue pegar a expressão das crianças ao ver o “novo integrante” da festa.

Passado este momento, pergunto para a cliente se a grande maioria dos convidados já chegaram e se posso (se for da vontade dela), clicar as mesas com os convidados. A verdade é que nenhum fotógrafo gosta de fazer essa parte (rsrs), mas se for importante para a mãe o registro de todos que compareceram, assim o farei. Você pode aproveitar um momento em que o aniversariante não esteja fazendo nada “inédito”. Fique de olho no que ocorre ao redor. Se precisar interromper os cliques das mesas, pois tinha outra coisa importante acontecendo, tudo bem. Só não deixe de retomar depois.

Feito tudo isso, geralmente é cantado o parabéns e após ele, você está liberado! =]

2.4 Retratos do aniversariante.

Sempre procuro fazer bons retratos durante a festa, quase como se estivesse fazendo um ensaio desta criança. É importante para os pais e também ficará lindo como capa de álbum ou em páginas cheias no seu álbum. Serão as fotos preferidas, sem dúvida.
Meus registros de aniversários se resumem praticamente em três partes:
- Fotos posadas e obrigatórias.
- Mini “sessão” do aniversariante, porém sem interromper muito a festa.
- Registros de estilo jornalístico.

Também procure registrar bons momentos dos pais com a criança. Você pode até dar a dica para os clientes – de forma sutil – de que quanto mais tempo ficarem com seus filhos, melhores serão as fotografias. Assim evitamos aqueles indesejados milhares de cliques no colo da babá.

Uma dica para o retrato do aniversariante: Fotografe na altura dos olhos!

2.5 Deixe fluir.

Embora eu tenha tudo isso muito claro na minha cabeça, sobre o que eu gostaria de registrar, procuro interferir minimamente. Muitas vezes as mães me perguntam o que devem fazer e instruo da melhor maneira possível. Sugiro colocar crianças menores nos brinquedos, pois elas não iriam sozinhas. Mas é importante não interferir no cronograma natural da festa. Ficar sugerindo ou questionando que horas cantar o parabéns, faz o que você pareça com pressa de ir embora e soa grosseiro.
Se a criança estiver brincando o avô, por exemplo, aproveite para clicar isto, ao invés de sugerir outra atividadade. Mais tarde você perceberá que bons registros se fazem nessas ocasiões de intervalos também.

2.6 Divirta-se.

Sei que este conselho é clichê, mas não vejo outra forma de encerrar este texto, se não dizendo isso! Você precisa se divertir e gostar genuinamente desses eventos.
Há crianças tão engraçadas, muitas vezes dou gargalhadas durante essas festinhas. Fico feliz com a alegria delas e com o que estou conseguindo clicar. Brinco muito com as crianças. Amarro o cadarço, ajudo a subir na cama elástica (quanto alguns monitores parecem ter caído no sono hehe) e isso me ajuda a criar um vínculo com essas crianças, que sei que transparecem no trabalho.

Espero que tenham gostado das dicas e isso venha a ajudar vocês no desempenho nas próximas festinhas!

Um beijo e bons cliques.

Olá pessoal, chegamos ao fim da nossa Maratona de Aniversários Infantis aqui no blog, rsrs. Foram 4 lindos aniversários postados: Da Nanda, do Nicollas, da Maria Clara e do Miguel.

Quem quiser ver mais aniversários aqui no blog, é só entrar na Categoria Aniversários. E não se esqueçam também que o Workshop em Goiânia está chegando. Será no dia 10 de maio. Não fiquem de fora!

E agora, conforme prometido, um pequeno post com dicas para fotografar aniversários infantis. Ebaa!

Eu adoro fotografar aniversários infantis. Diferente de qualquer outro tipo de evento, neste eu realmente me divirto. Me sinto como uma caçadora em busca de registros espontâneos e sorrisinhos escondidos. Cada clique bacana é uma vitória! Isso porque numa festa infantil, você não tem tanto controle quanto em um ensaio, por exemplo. Não é você que vai ficar dirigindo a cena (não deveria, pelo menos), então é um trabalho quase jornalístico. Um jogo de gato e rato que eu adoro jogar.

Vamos dividir esse post em duas etapas:

1 – Logística (voltado para a organização do fotógrafo no dia da festa e em como lidar com o cliente).
2 – Técnica. (voltado para como fotografar a festinha em si).

Vamos lá:

1.1 Trace um roteirinho mental. Gosto de me programar com antecedência para os eventos e traçar uma listinha do que pretendo fazer, em que ordem, dentro da medida do possível. Geralmente, informo ao meu cliente que vou chegar com 10 ou 20 minutos de antecedência, dependendo do tamanho da festa, para começar fotografando a decoração.

Assim, eles já ficam tranquilos, pois quando chegam, você já fez essa parte minuciosamente, de modo que nenhum detalhe ficou de fora. Fotografe a mesa inteira, num ângulo aberto. O salão inteirinho, ainda vazio. Depois vá fechando nos detalhes. Não esqueça os arranjos de mesa e as lembrancinhas. Quando os pais chegam, começo fotografando a família, antes que os demais convidados cheguem. Mais tarde, será cada vez mais difícil, pois os pais estarão preocupados em recepcionar os convidados. Não vou com antecedência demais, pois pode ser em vão. Os convidados nunca chegam no horário marcado no convite, o que te dá minutos a mais. Da mesma forma que há decoradoras que terminam tudo muito perto do horário da festa. Chegar com 20 minutos é suficiente, pois mais do que isso, você pode ter que ficar esperando.

1.2 Informe aos pais sobre o que você pretende fazer. Eles ficam mais seguros se você diz, com tranquilidade, que vai fotografar o salão antes da chegada deles, que depois vai fotografar a criança sozinha um pouco, junto da decoração, depois com os pais, avós, padrinhos e quem mais for imprescindível. Eles não precisam ficar pensando se algo já foi clicado ou não, pois o responsável por isso é você. “Tá dominado!” é o que eu digo pra eles. Sinal de que cobri tudo o que era importante pra eles.

E mais importante ainda: PERGUNTE sobre quais as expectativas deles com relação ao evento. Tudo isso você pode fazer em uma reunião prévia, quando forem assinar o contrato, para não incomodá-los no grande dia. Note que para cada família, a expectiva é diferente. Há famílias que me pedem para focar quase que exclusivamente no aniversariante, pois para eles não é relevante ter fotos dos coleguinhas no álbum. E há famílias que querem um registro completo, com todos os convidados, para que no futuro, possam se lembrar de quem estava nesse dia, comemorando com eles. Ambos eu acho bastante válido e sempre me coloco na posição da mãe, imaginando como eu gostaria de ser atendida por um fotógrafo.

Se você quiser, pode entregar para os pais (ou enviar por email) um formulário ou check-list, com essas perguntas. Dessa forma você terá tudo escrito, para se lembrar no dia, antes de sair de casa. E fazer bonito!

Marco Antônio com seus pais, em sua festinha de 4 anos.

1.3 Respeite quem mais estiver trabalhando. É quase um absurdo que eu tenha que escrever essa dica. Mas já tive tantas experiências diferentes, que acho que algumas pessoas precisam ler.  Garçons, decoradores, cinegrafistas, todos eles estão trabalhando no evento, tanto quanto você. Procure se apresentar e conhecer seus colegas de trabalho, assim a coisa flui com mais naturalidade e bem menos stress. Cuide para não passar na frente do cinegrafista, ou fotografar no lado oposto, de modo que você apareça o tempo inteiro na filmagem. Peça para que façam o mesmo. Se ajudem!

Não é fácil, mas se ao invés de reclamar, você procurar ajudá-lo, a pessoa vai se ligar de te ajudar também e não ficar atrapalhando.

1.4 Política da boa vizinhança gera bons frutos. Complementando a dica acima. Não me importo de enviar fotos para a decoradora depois, desde que em baixa resolução e com minha marca d’água. Ela vai adorar ter fotos para divulgar e você acaba tendo mais uma pessoa compartilhando seu trabalho. O mesmo se aplica caso a empresa de vídeo queira uma foto para a capa do blu-ray. Ser simpático com quem trabalha na casa de festas também.  Tudo isso é só mais um “outdoor” pra você. Não seja mesquinho!
Você pode até pegar alguns cartões da decoradora de sua preferência (não pegue de várias) e indicar para seus clientes. Deixe seus cartões com a decoradora ou a casa de festas e – se você tiver feito tudo certinho – te indicarão também.

Outra forma de divulgar, é deixar seus cartõezinhos em cima das mesas do salão, para os convidados pegarem, se tiverem vontade.

1.5 Você é seu cartão de visitas. Fazer novos clientes em uma festinha infantil é a soma de todos os fatores. Você precisa ser simpático e educado com TODOS os convidados, não só com seu cliente. Seja atencioso com as crianças, mas somente se for genuíno. Ou seja, seja brincalhão, mas não falso. Penso que você está conquistando os pais, quando observam a sua interação com as crianças. No fundo, é assim que você vai conseguir boas fotos. Mas só vale se for verdadeiro.

A sua “venda”, é a soma de toda a sua apresentação pessoal e profissional. Se vista adequadamente. Não haja como se fosse convidado. Só coma quando houver intervalos e somente na cozinha do local. Tenha um bom cartão de visitas, bonito, apresentável (não pode estar amassado. Acredite, já vi isso). Uma boa apresentação pessoal/profissional é a alma do negócio e fala muito sobre você. Nada disso passará despercebido.
Para mulheres, cuidem também com a maquiagem. Você precisa estar apresentável, mas não pode chamar atenção negativamente. Evite ser muito chamativa, pois algumas mamães ciumentas podem não gostar. Jamais: decotes, calças coladas demais, batom vermelho.

1.6 Seu site é a complementação da sua venda. Se seu cliente “to be” se deu ao trabalho de pegar seu cartão numa festinha, gostou do que viu enquanto você trabalhava, agora quer espiar um pouquinho do seu trabalho na internet, é OBRIGATÓRIO que seu site complemente a sua venda. Isto é, além de conter boas fotos de festinhas – que foi o que ele viu “em ação” – em um portfólio consistente, precisa ser um site bonito, intuitivo, fácil de navegar.
Por consistente, entenda: não é absolutamente tudo o que você já clicou na sua vida. E sim, uma seleção bem feita dos seus trabalhos, que demonstrem o seu estilo, sua visão e sua técnica, pois é isso que você quer vender.

1.7 Respeite a privacidade dos convidados, ao postar fotos em seu site ou página do facebook.

Lembre-se: Quem autorizou (ou não) a publicação das imagens, foi o seu cliente. Porém, você não tem a assinatura, ou a autorização de uso da imagem dos demais convidados da festa, para sair publicando fotografias dos filhos deles. Na dúvida, não publique!
Se coloque na posição deles: Imagina se você nunca mais pudesse sair com seu filho, para lugar algum, sem correr o risco de ter imagens dele compartilhadas na internet? É mais ou menos isso que seu cliente passa. E não deveria. Vamos respeitar! Não são todas as pessoas que gostam de ter fotos do filho na web.

Geralmente, quando publico foto de alguma outra criança além do aniversariante, ou é o irmão, ou é outro cliente meu e eu já tenho a autorização dos pais dessa outra criança.

1.8 Nunca, nunca, nunca, trabalhe em um evento sem contrato.

NUNCA! Espero que isso tenha ficado claro, rsrs. O contrato serve para proteger ambas as partes. Nele você deve colocar muito detalhadamente, o que você combinou com o cliente. A data da festa, o horário (isso te protege, caso o horário mude, ela esqueça de te avisar e depois diga que foi você que esqueceu), o local, etc.
É importante ter uma cláusula com o pacote que foi escolhido, qual o valor total, qual a forma de pagamento, se foi parcelado, enfim. Não deixe de constar tudo o que ficou previsto ser entregue, bem como os prazos para a entrega. Se o pacote continha arquivos digitais, coloque quantos são e em que resolução. Em caso de álbum, qual o tamanho, quantas páginas, quantas fotos (aproximadamente) e qual o acabamento, se tem estojo, entre outros detalhes da sua proposta.
Eu também coloco em contrato, a autorização do uso das imagens. Isso serve não só para proteger o seu cliente (caso ele não autorize), como também serve para me lembrar de quais clientes eu posso, quais não. Com tantos clientes, é comum que eu esqueça e precise retornar ao contrato para saber o que estava combinado.
Siga a risca, caso o cliente não deixe publicar.

Outro aspecto importante do contrato, são cláusulas que protegem você e seu trabalho. Por exemplo, de que é responsabilidade do cliente/contratante, caso algo ocorra com o seu equipamento. Se algum convidado derrubar refrigerante na sua lente, se um garçom te derrubar e você se machucar, isso é responsabilidade do contratante. É claro que trabalho sempre com seguro de equipamento, mas independente disso, essa é uma cláusula importante.

EDIT: Assistindo uma palestra sobre direito na fotografia, meses depois de ter escrito esta matéria, descobri que devemos retirar essa cláusula que responsabiliza o cliente, pois esse é um risco que faz parte do trabalho. Ou seja: façam seguro dos equipamentos SEMPRE!
EDIT 2: Para quem costuma pedir o meu modelo de contrato. Eu encorajo todo mundo a contratar um advogado para fazer o próprio contrato. Enquanto eu ficava usando modelos prontos da internet, misturando um modelo com o outro, pegando cláusula dos contratos dos amigos, sem qualquer acompanhamento jurídico, só tive problemas. Até que criei vergonha na cara e fui fazer do jeito certo. Quem fez o meu foi a Dra. Lilian Novakoski e o contrato ficou muuuito melhor depois que eu pude sentar com ela e expor as reais necessidades do meu trabalho. Não custa tão caro, pelo benefício que isso pode trazer para o seu negócio.

Bom, estas foram 8 dicas com relação à logística de se fotografar um aniversário infantil. No próximo post falaremos sobre técnica, sobre o que fotografar, sobre equipamentos e sobre o evento em si.

Aguardem! =]

CLIQUE AQUI PARA LER A PARTE 02.

Olá queridos. Chegamos ao fim da semaninha de fotografia lifestyle de recém-nascidos! Gostaram dos posts?

Sabem que estou adorando essa ideia de semanas temáticas e ter voltado a fazer post com dicas? Acho que faz parte de mim essa coisa de escrever.

Hoje trouxe algumas diquinhas para fotografar recém-nascidos, ao estilo lifestyle.
Para quem nunca ouviu falar, lifestyle é o tipo de fotografia que registra o estilo de vida. É uma fotografia descomplicada, “stress free”, com eu gosto de chamar.

Eu fotografo dessa forma “desde sempre”. Nunca fui muito de usar props em excesso, montar cenários ou coisas do tipo. Foi ano passado que descobri que esse meu estilo de fotografar se chamava lifestyle. Esses dias até rolou uma matéria comigo no PhotoChannel sobre esse assunto, vocês podem acessar clicando aqui.
Claro que não é só com newborns que fotografamos assim, naturalmente. Adoro ensaios de família nessa temática, mesmo com crianças maiores. Aqui no blog vocês podem ver algumas clicando aqui e aqui. Me fascina o fato de ser possível criar tanto, num ambiente tão simples quanto o quarto do casal, por exemplo.

Bom, vamos à algumas diquinhas para trabalhar dessa forma com esses seres tão pequeninos!

O cuidado é o mesmo!
Esse tópico é tão importante que decidi que deveria ficar em primeiro lugar.
Não é porque o ensaio é “stress free”, que vocês devem esquecer tudo o que aprenderam sobre fotografia newborn. Não esqueçam que estamos lidando com uma pessoínha que acaba de nascer, que tem seu sistema imunológico pra lá de sensível e que é todo molinho igual massinha de modelar (rsrs). Portanto, se você não souber exatamente o que está fazendo, não faça!
Eu amei todos os cursos de newborn que fiz até agora. É impressionante o quanto se aprende sobre eles. Posso aplicar as técnicas que aprendi a cada ensaio. Eu só conduzo [ou dirijo] de uma maneira muito diferente do estilo tradicional. Mas o cuidado é sempre o mesmo.
Ao chegar, faça a higienização das mãos, antebraços e equipamentos fotográficos. Eu uso o álcool gel para isso. Gosto de lavar a mão assim que chego na casa do cliente, sempre antes de pegar o bebê e aplicar o álcool logo na sequência.
A única diferença aqui, é que não nos preocupamos com a lavagem de mantinhas, gorrinhos, etc. E nem precisamos necessariamente orientar as mamães, pois elas já se prepararam e muito bem, para a chegada do seu bebê. É importante que você – o intruso na casa dela – não estrague todo o ambiente limpinho e higienizado que ela acabou de criar.

HUA_4166

Lorenzo com 18 dias. Confira este ensaio completo clicando aqui. Ele também apareceu no blog aos 6 meses.

Fotografe a Rotina.
Você não precisa sempre posicionar o bebê e dizer para os pais o que devem fazer. Muitas vezes, propôr uma atividade pode nos dar uma boa variedade de cliques.

Banho gostoso do Nicholas. Lembram dele desse post?

Banho gostoso do Nicholas. Lembram dele desse post?

Os props.
Quando digo que não levo acessórios, não significa que eu não use nada em meus ensaios. Eu comprei uma faixa UMA vez. Não usei e dei de presente para uma amiga… Penso que a graça da fotografia lifestyle, está em guardar na lembrança um pouquinho da vida das pessoas, em forma de fotografia. Não sei vocês, mas eu, quando vejo fotos da minha infância, vivo um momento de nostalgia ao lembrar de algumas roupinhas, dos brinquedos preferidos, do fato de eu só calçar tênis, mesmo antes de saber andar – hábito que carreguei para a vida inteira. São essas fotos que me fazem recordar como era a nossa família naquela época.

É isso que quero para meus clientes. Use a casa deles, use as roupas deles, os brinquedos, os acessórios. Você está retratando aquela família. Não a sua!
Quando saio para fotografar, vou munida da minha câmera na mão e de uma mente aberta. Já falei isso por aqui no post com dicas de fotografia de gestante. A filosofia é a mesma aqui.

As poses.
Coisa linda nesse tipo de ensaio, é ter muita liberdade para criar. Você pode utilizar, mesmo na casa do cliente, algumas poses clássicas da fotografia newborn. Acho bacana colocar o bebê de bruços, com as perninhas cruzadinhas. Você pode usar a cama dos pais para isso. Lembre-se sempre de fazer o bebê dormir primeiro, assim você consegue uma expressão serena (sem caretinha de choro) e ele fica mais confortável. Colocar o bebê nessa posição acordado, é pedir para ele chorar de desconforto, além de esticar bracinhos e perninhas. Pelo menos essa é a minha experiência.

Outras poses legais – que gosto muito mais – são as focadas na interação dos pais (e irmãozinho, se tiver) com o bebê. Você pode usar e abusar da criatividade nesse momento e o bebê estará confortavelmente no colo dos pais. Colocar o bebê junto com o irmãozinho mais velho, desde que com o auxílio dos pais, também pode gerar cliques lindos, que eles guardarão para toda a vida.

HUA_8532 HUA_8591
Daniel aos 16 dias e suas três lindas irmãs.

Daniel aos 16 dias e suas três lindas irmãs.

Mantenha a postura.
Não é a toa que fazemos tantos cursos de fotografia newborn para nos especializar. Passe confiança para os pais. Mostre que sabe o que está fazendo. Não precisa virar o bebê de cabeça para baixo para isso. Muitas vezes, manter a calma, usar uma voz tranquila e demonstrar para a mãe que você não tem nenhuma pressa, já é o suficiente. Muitas vezes eu tenho que ficar relembrando as mães que eu não vou à lugar algum e que o ensaio pode levar o tempo que precisar. Elas precisam disso, pois estão cansadas, preocupadas e achando que você é uma “visita” na casa delas e que pode estar desconfortável.

Lívia aos 8 dias, no colinho da mana Yasmin.

Lívia aos 9 dias, no colinho da mana Yasmin.

Respeite o ritmo do bebê.
Um complemento do tópico acima. O ensaio vai durar quanto tempo ele tiver que durar. Como não faço algumas poses complicadas, pode ser que eu leve menos tempo do que o tradicional, mas independente do estilo de fotografia, as necessidades do bebê são as mesmas. Ele vai precisar mamar, ele vai precisar trocar a fralda, ele vai chorar e precisar ser acalmado. Tudo isso é absolutamente normal e você deve estar preparado para isso. Pode ser que o bebê logo durma, pode ser que não. E isso não é problema algum. Se o bebê estiver calminho, mas acordado, fique a vontade para fazer alguns cliques dos olhinhos atentos.

Miguel mamãe e mana!

Miguel, mamãe e mana!

A melhor época para fotografar.
A grande maioria dos fotógrafos newborn recomenda que se faça as fotos entre 5 e 15 dias de vida. Eu concordo! A fotografia lifestyle não “obriga” necessariamente que você fotografe antes disso, mas pela experiência, sei que a recomendação existe por um motivo. É que neste período, os bebês ainda estão maleáveis, não vão rejeitar determinadas posições, além de que, geralmente, ainda não começaram as temidas cólicas. Um bebê sem cólicas é um bebê feliz, rsrs.

E a iluminação?
Luz de janela para que te quero! Isso é pessoal e varia de fotógrafo para fotógrafo. Alguns atendem no próprio estúdio, mas usam luz de janela. Alguns usam softboxes imensos, de modo que conseguem uma luz difusa, mas trabalham com luz artificial (a vantagem é conseguir fotografar em qualquer horário). Eu adoro luz de janela e de uma bela contra-luz. Por essa razão, meus ensaios são feitos todos durante o dia.

Quem lembra da Letícia, que apareceu aqui no blog aos 6 meses?

Quem lembra da Letícia, que apareceu aqui no blog aos 6 meses? Aqui ela tinha apenas 17 dias.

As objetivas usadas.
Eu tenho apenas duas objetivas, a 24-70 2.8 e a 50mm 1.4. Ambas Nikon. Elas me atendem maravilhosamente bem. E o legal é que posso usá-las não só na fotografia newborn, como também em vários outros tipos de trabalho. Recomendo, no entanto, que você tenha pelo menos uma lente clara e nítida. Se eu fosse adquirir algo a mais, poderia ser uma 105mm macro, para fotografar detalhezinhos.

HUA_8515

A dudinha (dona dessas pernocas) já apareceu vááárias vezes por aqui. Confiram todos os posts.

Agendando e orientando.
Explique tudo para os pais. Conte para eles o que vai fazer e como. Tudo isso pode ser explicado numa reuniãozinha quando eles vierem fechar o contrato com você. Eu possuo também um pdf com essas dicas, que envio por email para meus clientes. Sempre oriento que agendem o ensaio antes mesmo do bebê nascer. A rotina vai mudar tanto quando o pequenino chegar, que eles acabarão esquecendo de você e não será possível fazer antes do bebê completar 15 dias de vida.

HUA_7857

Pedrinho aos 9 dias. Dá pra ver o ensaio completo dele clicando aqui.

Keep it clean!
Meu estilo de fotografar, é sempre muito clean e leve. Portanto, também oriento aos pais que estejam vestidos adequadamente para a sessão. Uma camisa branca para a mãe, por exemplo, é duplamente boa: fotografa bem e é prática para abrir, para as pausas para a amamentação. É importante deixar claro que o foco é o bebê, então outros elementos não podem chamar mais atenção do que eles.
O mesmo vale para objetos que seus clientes tenham pela casa. Como não estamos em nosso próprio ambiente, temos de nos esforçar para conseguir um fundo limpo, já que o cenário não estará pronto. No quarto do bebê, procuro deixar apenas objetos de decoração, como ursinhos, kits maternidade que geralmente combinam com as cores do quarto. No quarto dos pais, se formos usar a cama, por exemplo, acho importante retirar objetos da cabeceira, como controle remoto, copo d’água, telefone celular, entre outras coisas que possam desviar a atenção.

Detalhes, detalhes.
AMO pé de bebê. E vocês? Acho super fofo mostrar o quanto os pézinhos e mãozinhas são miudos. Se estiverem descascando um pouquinho, tudo bem também. Lifestyle é isso. Faz parte da vida.

Pézinhos do Felipe, aos 8 dias de vida.

Pézinho enrrugadinho do Felipe, aos 8 dias de vida.

Cílios lindos da Fernanda, aos 19 dias.

Cílios lindos da Fernanda, aos 19 dias.

Um beijo e um chamego.
Não sei vocês, mas eu me envolvo muito com meus clientes. Me sinto feliz pela felicidade deles e acho que isso transparece nas fotos. Curta o momento. Ele é maravilhoso.

Um beijo e boas fotos!

Um ângulo diferente para a pausa para mamar da Maria Clara.

Um ângulo diferente para a pausa para mamar da Maria Clara.

Oláá, chegamos ao fim da nossa Semana das Gravidinhas. O que acharam da novidade? E, conforme prometido, a volta das dicas aqui no blog!

Hoje falaremos um pouco sobre como melhorar seus ensaios de gestantes.

O ensaio de gestante é o registro de um momento lindo que a família está vivendo.
A chegada do primeiro filho, ou mesmo do esperado irmãozinho. É preciso muita sensibilidade do fotógrafo e criatividade, para fugir da mesmice.

Confiram abaixo algumas dicas.

A personalidade do Casal.

Cada família tem seu estilo e sua forma de levar a vida. Acho isso maravilhoso e procuro, a cada ensaio, registrar o casal exatamente do jeitinho que eles são.
Nunca levo acessórios para os ensaios. Vou munida de uma câmera e da mente aberta. Oriento meus clientes antes, para que levem acessórios que sejam a cara da família. Com isso, já consegui muitos cliques distintos.

Família gaúcha tem que ter chimarrão!

Família gaúcha tem que ter chimarrão! Confira todo o ensaio aqui

HUA_3107

Família que curte Rock! Veja o ensaio completo aqui.

Locações diferentes!

Quase sempre, o casal quer ir à um parque na cidade, ou à praia. Com o tempo, acabamos tendo fotos sempre nos mesmos lugares. Mesmo em cidades grandes, nem sempre é possível passear livremente, por causa da segurança (e as fotos acabam ficando fadadas ao jardim botânico, rs).
Então porque não fazer em lugares privados? Na casa do cliente, ou em alguma fazenda de um amigo, sempre rende cliques interessantes.

HUA_3879

Ensaio de gestante na cozinha? Por que não?! Veja o ensaio completo aqui.

Fuja das super-produções!

Essa Quem aí se lembra dos bichinhos da Parmalat? Lembram né? Mas tenho certeza que todo mundo que vê fotos assim, crianças vestidas de bichinho, associam à década de 90. Convenhamos, hoje em dia isso é pra lá de brega, rsrs. Modinhas vem e vão e nós não queremos que no futuro nossos clientes se envergonhem das fotos que fizeram conosco. Portanto, keep it simple! Foque na beleza da mulher, da família e se preocupe menos em produzir com o que estiver na moda.

HUA_7447-2HUA_7513

 

Cortes e ângulos

Aproveite para mostrar a vida de outro ângulo. Faça recortes, explore o lado artístico. Acho incrível a simplicidade que um corte diferente dá à imagem.  Nem sempre precisamos mostrar o rosto da pessoa, gosto de deixar subentendido.

HUA_8259

HUA_8220

HUA_8270

Veja mais fotos desse ensaio aqui.

Posar pra quê?

Existe um número inimaginável de fotos de gestantes com a mão na barriga, segurando um sapatinho ou olhando para o fotógrafo. Vamos virar o disco? Guerrinha de travesseiro, brincar no jardim, são sempre opções para variar e representar o quanto a família está feliz e unida neste momento.

Mais fotos dessa família divertida aqui.

Nem tudo no mundo é barriga!

Imagino sempre o ensaio de gestante como um ensaio de família. Em ensaios de família, ninguém fica focando somente numa parte específica do corpo do fotografado, correto? A gestante é muito mais do que uma barriga! Ela é uma pessoa, feliz por se tornar mamãe, passando por muitas mudanças maravilhoas na vida. Capture o sentimento!

HUA_2425

Invente uma brincadeira.

A grande maioria dos meus clientes não é modelo. Aliás, acho que posso dizer que nenhum é. Então é muito normal que as pessoas não saibam como se portar em frente à câmera e cabe a nós sugerir atividades e dirigir a cena para que ela aconteça. Eu passo o tempo inteiro em que estou fotografando sorrindo e fazendo piadinhas, assim acabo conseguindo sorrisos mais naturais e expontâneos.

HUA_6220

Neste dia até foto na chuva rolou. Conseguem ver as gotinhas? *_*

Detalhes.

O detalhe do sapatinho é sempre requisitado pelas clientes, então procuro colocá-lo num contexto diferente, não apenas sendo segurando sobre a barriga. Deixe sua imaginação fluir.

Nesta foto preferi fotografar o momento em que ela "cuidava" do sapatinho, ao invés de clicá-lo simplesmente apoiado na barriga.

Nesta foto preferi fotografar o momento em que ela “cuidava” do sapatinho, ao invés de clicá-lo simplesmente apoiado na barriga.

Luzzzz pra quê te quero!

Aaaaah, como eu amo uma boa contra-luz. Você pode trabalhar de diversas formas, como for o seu estilo. Silhuetas são uma ótima pedida. Luz de janela… Eu, por exemplo, já amo o contorno  e o recorte maravilhoso que o contra-luz faz no cabelo. Use e abuse!

HUA_0995

Mais fotos dessa linda gestante aqui.

Mais fotos dessa linda gestante aqui.

Planos abertos.

Muitas vezes estamos tão focados em fotografar uma  barriga, que esquecemos de olhar em volta. Dê um passo para trás. Veja como a paisagem também é linda. Procure compôr, usar sua linguagem, junto com o ambiente à sua volta.

Veja aqui mais fotos deste ensaio.

Como não se apaixonar pela textura desse chão de terra? Impossível passar despercebido. Veja aqui mais fotos deste ensaio. 

Carinho de mano mais velho.

A segunda gestação também pode ser muito esperada e desejada. Ainda que a mãe não seja mais “de primeira viagem”, ela ainda tem que aprender a lidar com esta outra “pessoínha” que em breve se tornará um mano mais velho. A ansiedade de saber como será o relacionamento dos dois, se serão parecidos ou completamente diferentes, se o ciúme reinará em casa.

HUA_1622

Família.

Nem sempre é a gestante que precisa estar em primeiro plano. Gosto de enxergar a cena toda, do momento vivido por todos que estão esperando a chegada daquele bebê.  Às vezes a ansiedade do pai é ainda maior do que a da mamãe.

Nesta foto, é a brincadeira de pai e filho que está em destaque.

Nesta foto, é a brincadeira de pai e filho que está em destaque.

 

Ainda há muitas outras coisas que se podem ser feitas durante um ensaio de gestante. O importante é tentar captar a essência e ser você mesmo. Traga à tona a personalidade da família, mas nunca fuja do seu estilo como fotógrafo. Com certeza foi gostando do seu portfólio que seu cliente te contratou. E divirta-se muito!